Separadores

ATENÇÃO

Este blog é pessoal demais. Este blog dá de si e do seu espaço, da sua liberdade, do seu pensamento e, sobretudo, do seu coração.
Acima de tudo: "Eu escrevo como falo, como sonho, como penso."
Por isso SEGUE O QUE SENTES.

09/05/2014

O amor nunca deixa de ser amor

Ela tinha um namorado que conheceu aos 16. Apaixonou-se como um adolescente e viveu esse amor das mais pelas formas durante anos. Aos 18 ele decide traí-la... Ela descobre. Ela confronta-o. Ele responde-lhe que se ela não tivesse descoberto que jamais lhe iria contar. Ela acaba com ele. Fica desolada...
Passam-se uns bons meses. Não se falam. Ela nem quer ouvir falar dele, frequentar os locais onde ele costumava estar, não quer pensar nele, como se alguma vez ela tivesse deixado de o amar... E eu via-a, a miúda mais linda e mais infeliz que eu conhecia, que já não sorria, que tinha perdido aquele brilhozinho no olhar de quando o amor preenche o sangue todo e inunda a alma. Perderam o contacto durante meses e meses. Até que ele do nada manda-lhe uma mensagem. A Mensagem... E ela fica apavorada, nervosa, o coração de repente começou a bater mais forte que o viajar da luz, sentia toda a cara ficar a ferver e as mãos suavam. Sem saber o que responder ou, como mulher que era, de responder demasiado depressa ao homem que lhe quebrou o coração em mil pedaços, não respondeu... Durante horas... Finalmente estava mais tranquila e respondeu-lhe... E meses depois voltaram. Não ao que eram, mas ao que iriam ser e que são até hoje.

Eu não entendia como é que ela tomava a decisão de voltar pra ele depois de tudo o que ele lhe tinha feito e dito... Questionava-me vezes sem conta para onde é que tinha ido aquela garra do "ninguém me pisa" que ela tanto emanava... Ao que ela responde: 
«Eu agora tenho o poder de decidir o que é que eu quero para mim e quem é que eu quero para mim. Ele agora já não me pode enganar mais porque eu agora sei com o que é que posso contar. Ele desiludiu-me e desiludiu todo aquele amor de conto-de-fadas que eu julgava viver com ele. Sem ele sinto-me a pessoa mais infeliz à face da terra e, com ele, sou menos infeliz. As coisas já não são as mesmas, o amor já não é igual. Mas nem por sombra de dúvidas deixa de ser amor.» 
Ela já não era ela sem ele. 
Aí eu entendi realmente que tudo na vida muda, todos os dias, os dias deixam de ser os mesmos. O calendário avança, as horas avançam. Já não há recuos. A vida é em frente. E só faz sentido junto daqueles que mais amamos, fazendo as coisas que amamos. Ás vezes basta ser feliz só de estar junto. E eu fico feliz por ela. Ela caiu, aceitou a mão dele que lhe pedia para ficar junto dela, levantou-se de mãos dadas. Ela que cresceu e tornou-se numa mulher que eu admiro e que me ensinou a amar mesmo nos defeitos.

A ela, um beijo enorme. De sempre. Para sempre.
Ao meu amor, amo-te, até mesmo os defeitos mais feios que são os mais especiais. [São os defeitos que nos definem. ❤️]
Há dias que quase não ouço a tua voz e, quando finalmente vens, incontactável, intocável, de lá longe, eu sinto-me feliz de novo, respiro com calma e cresce novamente as borboletas nervosas como no primeiro dia. Esperei toda a semana por ti, como espero todas as semanas...
Passam-se horas e eu não sei de ti, viajo nas ruas, olhando para todos os rostos que se cruzam comigo, na esperança vaga de te poder encontrar. Mas tu persegues-me de longe, vês-me perdida no meio da multidão e não me dás sinais... Eu sinto o teu perfume, sinto até o arrepiar dos meus poros por todo o meu corpo com o calor da tua pele que não me toca... E pergunto-me onde estás. E o vento sussurra "estou ao teu lado". Eu olho e não te vejo. Lá longe nunca te vejo.
E se o teu cabelo crescer mais, e se a barba ficar maior, e se os olhos ficam ainda mais claros e os cabelos aloiram mais? E se ainda me amas, e se ainda me queres, e se ainda somos um, e se vais querer acordar ao meu lado, e se vais deixar o passado pra trás e seguir em frente na mesma direcção que eu...
E se... E se... E se ao menos eu pudesse mostrar o quão eu te sinto cá dentro a todas as horas do dia, talvez acreditasses em mim, um dia...

Procuro-te em todos os rostos que se cruzam comigo... rua acima, rua abaixo... E nunca entendo que estás sempre atrás de mim, como quem guia, como quem protege, como quem afasta o mal mas como quem não quer ser visto e não me quer ver...