Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2011

Devias ter vindo

Imagem
Devias ter vindo! Mesmo quando eu disse que não, devias ter-me contrariado. Eu sou um bicho difícil, mas as mulheres são confusas, dão o dito por não dito, querem o mundo e não querem nada, são malucas mas amam com tudo o que têm delas próprias. Elas dizem que "não" e eles, quando gostam, não contrariam as donzelas, dizem que "sim" e fazem tudo o que ela pede. Mas uma mulher como eu gosta é de desafios, o fácil toda a gente que quer tem e o amor não é, nem nunca foi, só dizer que "sim". O amor é um jogo de torce e puxa e nega e chora e grita e faz birra e sorri e dá beijos e passeia de mãos dadas e ama perdidamente e por isso devias ter vindo, devias ter-me contrariado. No amor, as palavras nunca são certas e as minhas estavam longe de serem as que mais querias ouvir. Meu amor, por amor faz-se tudo! Por amor sobem-se mastros, descem-se céus, deslocam-se montanhas, arrisca-se tudo, e esse tudo é o tudo que amamos e ainda o tudo que não temos! Por amor arris…

O que diz de mim aquilo que eu sou.

Imagem
Catarina: Vem do Grego «Kathará», que significa "pura". O inconsciente de Catarina está sempre muito atarefado! Ela vive num estado de sonho permanente: histórias espantosas sobre o poder do amor, contos de fadas e alguns filmes de terror sobre a precariedade das coisas. Catarina é inconstante e vive ao sabor das suas emoções: ora alegre e confiante, ora escondida e assustada. O seu maior problema é a insegurança. Como é intuitiva e persistente, acaba por compreender que, ao ser ela própria alcança a segurança. Catarina tem o dom de convencer e sabe usá-lo quando é preciso. É um nome muito feminino. Número 4. Planetas Marte e Saturno. Festa: 25 de Novembro.
Alexandra: Vem do Grego «Alexein», que significa "proteger e defender" e de «Andros», que signifca "Homem Guerreiro", portanto, o defensor do homem. O ar sonhador e de quem está "na Lua" de Alexandra não nos deve enganar! Ela sente-se atraída pelo poder e luta, conspira, elabora estratégias...…

Em conversa...

A. M.: ‎"Porque é que toda a gente tenta ser o melhor do mundo e não 5º, 4º, o 3º ou o 2º?" Stm Catarina C. G.: Se não fores o melhor és só mais um. :s A. M.: Depende, hoje em dia a ambição não tem limites. Catarina C. G.: Mas isso não são pessoas, são vermes. A. M.: Então é caso pra dizer que há mais vermes que pessoas. Catarina C. G.: Aninhas, bem vinda ao mundo real e triste. Mas eu acredito que há mais pessoas como eu e como tu neste grande mas pequeno mundo (: A. M.: Olho para o lado esquerdo: rivalidade , para o direito: competição. Antes de tentarem superar-se a elas próprias tentam superar os outros. Chega a ponto que ambição não é saudável. Mas sim , pode ser que um dia sejamos a maioria, um dia...
Catarina C. G.: Mesmo. Mas tu deves ser sempre o melhor que TU consegues ser. Não pelos outros, por ti. Deves ser sempre o que tu quiseres ser, seguir sempre o que tu sentes. Não deves dar um pouco de ti a tudo o que fazes, a tudo o que te rodeia, dá antes tudo de ti ao pouco que faz…

O Fado dela e a Lisboa minha.

Imagem
A minha "prima" Inês canta tãaaao bem! Ai tão bom que é ouvi-la. Um timbre poderoso e a música tem um certo doce que embala mas encanta. Eu confesso que nunca fui uma fã perseguidora de fados e não sei nem um mas gosto de ouvir quando aparece. Faz-me lembrar a minha bela Lisboa, os passeios das tardes a subir até à Sé e a descer Alfama a pé, degrau a degrau. As pedras da calçada que são o chão que pisas, o Terreiro do Paço, a Praça do Comércio, o Cais do Sodré, o Bairro Alto bem lá no alto, os miradouros, o senhor Pessoa ao pé da Brasileira e o Largo do Camões sempre povoado.

Ai o que o fado me faz lembrar! O fado sabe-me a Lisboa, na sua pura essência. Fado da minha lisboeta Lisboa. Lisboa fadista. Fado, fado, fado...
O Fado é da minha prima, a Lisboa é minha.

[As fotografias são da minha autoria.]
Imagem
Feel the wind through your fingers, lose your balance and close your eyes. Feel the freedom inside of your soul and let the rythem take control. Oh god, how i need to dance 'til the sun rise!


Quase um ano depois

Imagem
Quase um ano depois de começar a namorar contigo ainda me sinto a rapariguita apaixonada pelo rapazito pequenino com pele de canela, olhar profundo e sorriso que era capaz de iluminar uma cidade inteira! Eu adoro o jeito com que tu me abres a porta de casa, gosto do olhar que me fazes quando olhas pra mim, gosto de quando estou de mãos dadas contigo na rua, gosto de te tirar milhentas fotografias e tu detestares que eu o faça. Gosto de como brincas com a Cuca, gosto de como brincas comigo, quando me pegas ao colo e me deixas sem eu tocar com a pontinha dos dedos dos pés no chão. Como tu me chamas trambolho e me dás um beijo doce. Gosto de como me limpas as lágrimas e dizes que vai ficar tudo bem. Gosto do calor do teu corpo, gosto do teu hálito fresco a menta, gosto de quando me beijas os ombros, as mãos, a testa, as bochechas, de como me abraças e agarras com força, com medo que eu fuja. Gosto quando me ligas a meio da noite, interrompendo-me os meus sonos mais profundos, só para me d…

Voltei a terra.

Dei conta que escrevo pra alguém mas ás vezes não sei bem quem. Às vezes escrevo pra ti, outras vezes para os outros e no fundo escrevo sempre pra mim. Eu sei lá de quantas pessoas já escrevi sobre, mesmo quando implícito mas sem nomear, quantas histórias já fantasiei sobre outras histórias de outras pessoa. Andava a pensar no porquê de continuar com o blog e no porquê de continuar a escrever para sabe-se lá quem. Algo que nunca disse, pelo menos em público, foi o porquê de ter começado com um blog. Cá vai:
A princípio, Julho de 2009 (como já se passaram 2 anos tão depressa!) comecei a escrever por uma razão simples - eu tinha um namorado (não era o Diogo) que era frio, dava-me pouca atenção, ora estávamos bem, ora estávamos mal, preocupava-me imenso com o rapaz e ele sem se preocupar absolutamente nada comigo. Fazia o que queria quando queria e não havia ninguém acima dele. Até parece um bicho mau e feio mas ele era lindo e eu gostava dele, e eu gostava dele por ele ser assim, diferen…