Separadores

ATENÇÃO

Este blog é pessoal demais. Este blog dá de si e do seu espaço, da sua liberdade, do seu pensamento e, sobretudo, do seu coração.
Acima de tudo: "Eu escrevo como falo, como sonho, como penso."
Por isso SEGUE O QUE SENTES.

28/07/2012

Nem demais, nem de menos

Não sei se te amo demais ou és tu que me amas de menos. Não, não é nenhuma das hipóteses. Eu é que tenho que mostrar o meu amor por ti, estar a provar-te constantemente que és tu quem eu quero e que só tu ocupas todo o meu coração. Já tu, não o fazes, não sei ao certo se por medo, por vergonha ou por não saberes como mostrar que se ama alguém. 
Se eu acreditasse no que a Margarida Rebelo Pinto diz quando afirma que não há amor, mas sim provas de amor, estava o baile bem armado, porque a tua demonstração é escassa, quase nula! Mostras-me pouco esse amor que dizes te ter mudado, mas é certo que quando o fazes, é sempre sincero. Nisso eu sei que vais sempre ser igual: vais ser sempre sincero. Talvez tenha sido também isso que me fez apaixonar por ti, por seres das pessoas mais sinceras com tudo, principalmente comigo.
Estou constantemente a dar-te o sol, a lua, as estrelas, a alma e o coração, eu que só desejo que me digas que sou o teu sol, a tua lua, a tua estrela, a tua alma e o teu coração. 
Mas sabes, meu amor difícil, meu tormento, acredito que mesmo sendo diferentes na forma de amar, amamos de certo um ao outro, na mesma intensidade, na mesma medida. E a nossa medida é enorme! Meu querido, nós amamos diferente, mas nem demais, nem de menos.

Tenho saudades tuas. E tu estás longe sem mim, como tantas vezes acontece.


Será que pensas em mim muitas vezes ao dia, como eu penso em ti?

26/07/2012

Saber-se amado.

O rapaz diz que te ama, então está bem, ele ama-te. A tua mulher diz que te ama, então assunto encerrado. Tu sabes que és amado porque disseram-te isso, as três palavrinhas mágicas. Mas saber-se amado é uma coisa, sentir-se amado é outra, uma diferença de milhas, um espaço enorme para a angústia instalar-se.
A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e verbalização, apesar de não sonharmos com outra coisa: se ele me beija, faz amor comigo e diz que me ama, tenha a santa paciência, vou querer que ele faça pacto de sangue também?
Pactos. Acho que é isso. Não de sangue, nem de nada que se possa ver e tocar. É um pacto silencioso que tem a força de manter as coisas enraizadas, um pacto de eternidade, mesmo que o destino, um dia, venha a dividir o caminho dos dois.
Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na tua vida, que zela pela tua felicidade... ela preocupa-se quando as coisas não estão a correr bem, sugere caminhos para melhorar, coloca-se a postos para ouvir as tuas dúvidas e dá-te uns "estalos" caso estejas a delirar. É ver como ela fica triste quando estás triste e como sorri com delicadeza quando diz que estás a fazer uma tempestade num copo d'água.
Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão. Sente-se amado aquele que se sente aceite, que se sente bem-vindo, que se sente inteiro. Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que não existe assunto proibido, que tudo pode ser dito e compreendido. Sente-se amado quem se sente seguro para ser exactamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois nenhuma personagem aguenta muito tempo. Sente-se amado quem não ofega, mas suspira; quem não levanta a voz, mas fala; quem não concorda, mas escuta.
Agora senta-te e ouve: um "amo-te" não diz tudo.

Martha Medeiros

25/07/2012

Viver é contar histórias.

Viver é contar histórias.

(mais) Margarida Rebelo Pinto

Como não compro jornais e não ando a par daquilo que aparece nas revistas, tenho sempre pena de perder alguma reportagem ou alguma crónica que aparece. Então fui procurar as crónicas que a escritora que mais admiro e a que mais tenho seguido Margarida Rebelo Pinto escreve semanalmente para o SOL e deu comigo a ler as suas opiniões sobre o amor e as coisas do amor.
«Gosto de ouvir o meu coração, mesmo quando ele me fala contra o bom senso e não respeita a lucidez, porque sei que o tempo e a realidade serão sempre os seus maiores aliados. Acredito que a verdade reside não apenas no que pensamos, mas no que sentimos. Na dúvida, o coração traz-nos respostas.»

 Gostei muito deste, até porque já escrevi sobre isto uma vez, sem saber que a queria Margarida havia pensado o mesmo: Amamos o que conhecemos.


«Aquele que amo pode não ser perfeito, mas é com quem consigo construir a relação perfeita, tijolinho a tijolinho, como uma casa de legos, que posso transformar todos os dias, ajustando-a ao que mais precisamos os dois para sermos felizes. Se é verdade que o amor é uma construção, também é verdade que só se constrói sob bases sólidas. Quando olhamos para o outro e não vemos mais nada, então é porque ele é tudo para nós. E só vale a pena se o outro sentir o mesmo. Senão, mais vale atirar a toalha ao chão e seguir em frente. Porque há mais vida, e haverá certamente mais amor.»

Lembro-me de ti enquanto leio. O amor é mesmo tramado!

24/07/2012

What.Inspires.Me










Somos iguais

Ainda hoje te deixei e já morro para te ter de volta nos meus braços. Longe de ti, o Verão sabe a menos. Tudo o que não é partilhado contigo sabe sempre a menos. Oh meu pequenino, eu reclamo contigo, mas somos peças do mesmo jogo e cartas do mesmo baralho, somos iguais e dizemo-nos tão diferentes. Somos embirrentos um com o outro e loucos um pelo outro. Gostar de ti é a minha maior virtude mas também o meu maior defeito. És o meu grande mal e a minha maior cura. És complicado e eu também o sou, mas meu amor, todo o amor puro o é. Eu quero-te bem, com toda a minha alma e quero-te perto, com todo o teu corpo junto ao meu.
Meu querido, pensa em mim. Não a todo o momento, mas sim ao deitar e ao acordar, como pensas sempre. É quem te aparece nos sonhos que te segura o coração. E eu que sonho tanto contigo.


. 25

«Não adianta. Mudam-se as cores do inverno, os sorrisos, as páginas das revistas, as dez mais bonitas. Mudam-se as tecnologias, as manchetes, o preço do pão, o jeito como você corta o cabelo. Mudam-se os sonhos, o clima lá fora, o tom do batom, a decoração, o que você espera de si mesma. Tudo muda o tempo todo. Mas uma coisa não muda. Não sai de moda. Não fica velho, nem ultrapassado. Quer saber? Acho amar a coisa mais eterna que existe. Não há nada mais moderno. Mais transgressor. Mais ousado – e mais antigo – que isso. Num tempo onde as pessoas mal têm tempo, amar virou coisa de gente corajosa. Porque é preciso muito peito (e muito jogo de cintura) para seguir o que temos de mais criativo: o coração.»

Fernanda Mello

20/07/2012

Acontecimento inédito

Ontem à noite aconteceu-me algo inédito e com pouca probabilidade de acontecer a qualquer pessoa! Estava a passar num largo que há onde moro com os meus amigos e um telefone. Olhei em redor e estava o telefone público da cabine  e mais uns homens a uns 5 metros, o que o toque poderia ser deles. Toca de novo. É mesmo da cabine. Estranhei, levantei o auscultador e atendi! "Estou?"
Aparentemente a voz grossa de um senhor queria saber quem lhe tinha ligado desse número e eu, muito atrapalhada disse que não sabia, porque era uma cabine pública e que a pessoa que o tinha tentado contactar já nem devia estar ali por perto. O senhor agradeceu e eu agradeci também! Não sei por que o fiz, mas sorri e pensei "Qual é a probabilidade de isto acontecer a alguém, assim??" !!
Foi engraçado e foi motivo de risota o resto da noite a supor como seria se fosse como aquele filme da Cabine em Nova Iorque.


Há coisas engraçadas nesta vida.

Contar sonhos

Estás longe, mais uma vez. E eu gostava só que me ouvisses contar os meus sonhos, aqueles que tenho contigo.

18/07/2012

Sai de casa

Vai á praia. Vai ao cinema. Vai ás compras. Vai passear. 
Vai tomar banho de sol e de mar. Faz churrascos. Sai com amigos. 
Leva amigos para tua casa. Telefona a todo o mundo às 3 da manhã a saber quem ainda está acordado. 
Sai de casa e vai ao café. Sai do café e vai para onde quiseres. 
Mete a mochila ás costas e vai conhecer o mundo. Ou então escreve para conheceres o teu mundo. 
Lê no sossego. Dança na confusão. Ri alto. Canta ainda mais alto. 
Dá mergulhos na tua piscina ou na piscina de alguém. 
Sai à noite. Junta toda a gente! Sai de casa. Sai para rua. Diverte-te! 
E faz com que o dia valha a pena, porque cada dia é irrepetível.


What.Inspires.Me




(eu e a minha irmã)





(eu)






11/07/2012

Um grande texto que fala de um grande homem: o meu Pai

Saí de Faro num Intercidades verde, como todos os outros. Liguei o iPod e esquiquei os meus pés pelo banco do lado que ia vazio. Abri o meu livro e li.o durante as 3 horas que se seguiram. "Próxima paragem Sete Rios". Peguei na mala e fui à procura do escritório onde o meu pai trabalha, perto das Twin Towers de Lisboa que a meu ver de gémeas só o nome! Dei surpreendentemente bem com o tal sítio e quando cheguei instalei-me na secretária branca ao lado da dele, também branca. Nela continha um computador e um ecrã, que ele trabalha em simultâneo. Ao lado do computador no qual mais funciona há uma moldura de madeira pintada de verde muito simples. Nela estão 3 pequenas meninas. as 3 muito sorridentes. Deu-me vontade de chorar. As 3 meninas somos nós.
Eu sei que o meu pai pouco me conhece. Sabe que sou teimosa, tonta, sonhadora, um bocado desapegada mas que me afinco nos estudos e não lhe dou grandes problemas. No fundo até sou uma boa filha. Mas não sabe muito mais, não sabe se acredito em Deus, ou em Buda ou em nada dessas figuras que não existem e que as pessoas em momentos de aflição agarram. Não sabe qual é a minha cor preferida nem a comida que mais gosto. Não sabe porque não pergunta, porque acha que vou ser sempre igual a mim mesma e que nunca vou mudar, ou crescer. Sabe que sou a sua filha do meio, há pelo menos 18 anos, bonitinha como as minhas irmãs e a mais parecida com ele. Sou reservada como ele no que toca a expor os meus sentimentos aos outros (com a excepção da escrita que aprendi a ser a minha forma de "confissão" e de resolver os meus conflitos interiores da forma mais pacífica). Não sabe muito mais de mim, mas agora tenho a certeza que nos ama, que pensa em nós no trabalho, pelo menos quando, por breves segundos, olha os nossos rostos pequenos de meninas pequenas e sempre pequenas, as suas meninas.
Ao ver a fotografia, deu-me um aperto tão grande no coração, uma vontade de chorar e de dizer que o amava, que ele era a minha referência e que quando ele me abraçava eu sentia-me sempre pequenina, sentia-me a menina da fotografia.
Eu não sei muito do passado dele, mas não interessa, porque somos iguais, sou feita do tecido dele e amo-o com toda a minha alma e toda a minha vida que ele e a minha mamã me deram no dia 3 de Maio de 1994 por volta das 6 da tarde.
Eu vou ser sempre pequenina, e vou ter sempre na cabeça a imagem do meu pai pegar-me ao colo sempre que eu adormecesse no sofá para me levar para a cama e mesmo que eu acordasse, como tantas vezes acontecia, fingia-me ainda adormecida, porque não queria que ele dissesse que já que estava acordada podia muito bem ir pelo meu próprio pé. Queria que ele me levasse como uma princesa, queria ser pequenina a vida toda, nos braços grandes e quentes dele, porque sei que ele me iria proteger sempre dos maus e dos pesadelos.
Pai, és o único homem permanente na minha vida, aliás, o único homem a sério até agora. E podem vir uns príncipes de vez em quando, escalar a torre (porque a tua pequena princesa é osso duro de roer e não deixa  que todos subam ao castelo e conheçam a prateleira dos livros e a cómoda dos perfumes) e beijar os meus lábios delicados, mas tu serás sempre o meu Rei, o meu porto seguro. E por isso vou ser sempre a tua princesinha teimosa mas com um coração enorme que tu e a mãe me deram. 

02/07/2012

Se ao menos lesses os olhos

Ligas-me. Falamos. Oiço-te a fumar, porque conheço-te bem. Acordas-te à 20 minutos dizes-me, a essa hora o relógio já passava das 3 da tarde. Ligo-te daqui a nada. E eu sorri, porque espero sempre que me ligues mais tarde. Mas tu nunca ligas...
É sempre daqui a nada, mas sabes, meu amor? Nada é nada, é algo vazio, algo que não existe. E ás vezes penso que o teu amor por mim é que não existe.
Dizes que não sou fácil, e eu sei disso, e também tu já o sabias à muito. Mas também não és fácil, gostar de ti é um sufoco e uma incerteza constante.
Oh meu querido, és um furação na minha cabeça, um barco à deriva no meu coração, uma correria no meu pensamento e uma inquietação nos meus sonhos. Devias ter vergonha de teres rasgado o peito ao meio e teres roubado o meu coração dessa maneira tão brusca e tão sem jeito.
Se ao menos me pudesses curar desta angustia que a distância entre nós me cria nas entranhas... Se ao menos pudesses ler os meus olhos e visses que preciso que me fales com a alma e não com a voz... Se ao menos entendesses todos os meus receios e todos os meus anseios... Se ao menos fosses mais, melhor eu seria neste amor cheio, sem amor.


Consegue tudo que quer, o mundo é pouco pra ela

Este excerto traduz um bocado muito daquilo que sou...

Uns dizem que ela é marrenta outros que é sensual
Discreta, Desperta, desejo, inveja e tem muita rival
Esperta, não se envolve fácil malicia é fundamental
Tem paixões secretas meta e busca seu ideal
Consegue tudo que quer, o mundo é pouco pra ela
Cê faz o pedido e a decisão final é dela
Bela e muito elegante, mas não se iluda com a capa
Inteligente o bastante pra fingir que não entendeu nada "Hã"
de uma música de Slim Rimografia


01/07/2012

What.Inspires.Me

Não tenho tido muita inspiração para escrever. Fica mais um moment of inspiration porque decidi retomar a parte de fazer isto ao domingo.












PS: Hoje a minha mummy faz anos