Separadores

ATENÇÃO

Este blog é pessoal demais. Este blog dá de si e do seu espaço, da sua liberdade, do seu pensamento e, sobretudo, do seu coração.
Acima de tudo: "Eu escrevo como falo, como sonho, como penso."
Por isso SEGUE O QUE SENTES.

24/03/2011

. 4

- A todas as princesas e princesos que conheço e outros artistas que por aí andam e que sofrem de amor ou estão mal com amizades que valem a pena. -

«Chorar não resolve, falar pouco é uma virtude, aprender a colocar-se em primeiro lugar não é egoísmo. Para qualquer escolha se segue alguma consequência, vontades temporárias não valem a pena, quem faz uma vez não faz duas necessariamente, mas quem faz dez, com certeza faz onze. Perdoar é nobre, esquecer é quase impossível. Quem te merece não te faz chorar, quem gosta cuida, o que está no passado tem motivos para não fazer parte do seu presente, não é preciso perder para aprender a dar valor, e os amigos ainda se contam pelos dedos. Aos poucos percebes o que vale a pena, o que se deve guardar para o resto da vida e o que nunca deveria ter entrado nela. Não há como esconder a verdade, nem há como enterrar o passado, o tempo sempre vai ser o melhor remédio, mas os seus resultados nem sempre são imediatos.» - O grande, Charlie Chaplin.
E, mais uma vez, digo e repito até que entendas: o tempo cura tudo. Eu não sei quanto tempo fará até a ferida sarar e passar a ser apenas uma cicatriz pequena por dentro das tuas entranhas, mas se a ferida dói no peito quando alguém toca com o dedo e empurra com força para dentro, então é porque ainda não estás curada, a ferida ainda arde e a tua boca ainda grita silenciosamente. Mas não desistas de ser feliz, com ou sem ele. Porque se não sarou, não é o fim, porque no fim tudo fica sempre bem e tu consegues respirar sem te doer os pulmões e consegues sorrir sem te doer o coração.

23/03/2011





Boy: Want to hear a joke?
Girl: Sure!
Boy: Knock Knock
Girl: Who's there?
Boy: Marry.
Girl: Marry who?
Boy: Marry me? ♥

PS: eu quero um ou dois, tanto tanto taaanto! Onde arranjo?

22/03/2011

Há coisas fantásticas, outras nem tanto.

«Queria escrever e não consigo, queria falar e não posso, queria puder dormir e sonhar sempre, mas não me deixam, queria e quero tudo, mas nao tenho... Sorrir para a força da realidade e fixar-me na imaginação do querer...» (por Ana Costa)

A par de sábado, definitivamente, hoje também não foi o meu dia. Ando a ter uma semana muita fixe, ui... Isto deve ser o Karma, o problema é que ele anda é avariado porque eu acho que não fiz mal a ninguém.
Aspecto positivo da semana: amanhã é outro dia e não vou à escola devido a greves. (menos mal) Mas olha, azar, quando a vida nos dá limões faz limonadas! E com bastante açúcar, já agora.


Já agora, desculpa mais uma vez Richie. You know that I love you like a brother, asshole.

21/03/2011

Amanhã é outro dia

Bem que podia ter corrido melhor, no final só queria desaparecer mas na vida nem sempre tudo corre bem mas se não houve final feliz é porque ainda não foi o final.
Tive surpresas tão agradáveis, eu pensava que o Diogo não ia, estava convencida que ele ia apoiar a equipa mas não, eu vi-o à medida que ia subindo as escadas e a luz que o rodeava estava cada vez mais perto. Parecia uma cena saída de um filme, surgindo diante dos meus olhos em câmara lenta.
As minhas princesas e os meus meninos foram os primeiros a mostrar o orgulho que têm em mim, mostrando-me força e coragem. E tu, meu amor, tu foste o último que me acalmou, eu enterrada nos teus braços quando tudo acabou, quando esperei que toda a gente saísse.
És o meu porto-seguro, o meu abrigo, o meu refúgio para além da escrita e da música.
Amanhã é outro dia e outro dia contigo tem sempre outro sabor como o teu sabor bom, sabor a vida boa, a vida fresca numa manhã do primeiro dia de primavera, sabor a esperança, sabor a vida a dois unidos por uma alquimia perfeita e pura na mais bela sintonia que entre dois pequenos corações pode existir.

Boa noite e bom dia meu amor, já que amanhã faço-te um pequeno-almoço de príncipe como tu és.

20/03/2011

. 3

- Tu gostas muito de dar ordens :o
- Sim. Mas gosto mais de ti :)

E o amor é assim, acontece.

16/03/2011

"Gosto das coisas secretas."

Clarice Lispector disse «Gosto das coisas secretas.»
Aí somos iguais! O segredo é a chave. Não acredito que numa relação deverá haver segredos (até porque defendo que sem confiança e transparência a relação, seja ela qual for, não existe), mas acredito que um casal poderá ter segredos juntos, como um poder alquímico que só os dois possuem e que nenhum dos dois poderá revelar a ninguém, como um enigma que apenas os dois sabem resolver, apenas duas e só duas chaves que abrem a mesma porta, dois caminhos que vão dão a um mesmo lugar.
E é por isso que és tu que detens em teu poder o meu coração, e ele transborda segredos que um dia te irei revelar, secretamente, por entre o tempo e o amor que nunca se cansará de correr atrás de nós. O meu coração por si só é um segredo e só tu o sabes tão de cor.

Para ti, sempre fui um ser que nunca poderia ser teu, um ser que nunca te poderia amar como tu me amavas a mim, nunca te poderia desejar como tu me desejavas mas, embora o tempo desse tantas voltas ao relógio que às vezes te confundisse, tu nunca esqueceste o amor que sentias. Esquecias que ele existia por momentos mas isso não era suficiente por isso afastaste-te e eu afastei-me também (por motivos que já não interessam). O que amamos temos que deixar livres, para que se quiser e nos ame também, volte sempre que quiser e o tempo encarregou-se disso, de nos juntar, eu alma de pássaro que sobrevoava por entre sonhos e tu, um eterno apaixonado que se apaixonou pela dança da ave rara que sou. Eu nunca fui um segredo no teu coração, pelo que dizem, estava na cara que era eu que tu querias contigo, e quando se deseja com muita força, os desejos tornam-se realidade.
Mas tu, ao contrário de mim, sempre foste o meu segredo tão secreto que nem eu o descobria, eras o enigma, o quebra-cabeças mais difícil que alguma vez me testaram e que eu tinha permanentemente na minha cabeça bem escondido que finalmente encontrei.

11/03/2011

Há malucos pra tudo e a cada maluco sua pancada

Eu não sei a quem mais acontece estas coisas e juro que não estou a ser convencida mas estou convencida que foram os 20 minutos mais estranhos da minha pequena vida! 20 minutos desde a estação em que embarquei até à estação que o jovem entre os 20 e os 25 anos saiu.
Quando entrei ele já lá estava porque eu sentei-me no único lugar vago da carruagem, na diagonal dele, junto à janela, como quem "vai de costas" (e como a muita gente "enjoa" ir assim mas a mim é-me completamente igual). Repito que não estou a ser convencida, mas o jovem fixou o olhar em mim em todo o caminho! Eu às vezes tenho a sensação que estou a ser seguida ou observada quando estou na rua, mas isso são coisas da minha cabeça porque eu detesto andar sozinha, seja de dia ou de noite.
Pedi licença pra me sentar e disse "desculpe" sempre que tocava em alguém ou seja, incomoda-las, porque se gosto que as pessoas sejam educadas comigo, então sou educada para todas as pessoas também. Sentei-me no dito lugar e como vinha com o livro que ando a ler (Onde Reside o Amor, de Margarida Rebelo Pinto) na mão abri e continuei a minha leitura na página marcada. Antes de começar a ler ou fazer seja o que for, gosto de olhar em volta pra ver quem vai no comboio, não sei porquê, é o hábito de ir e vir sozinha e assim sinto que "não estou sozinha". Reparei que realmente a carruagem ia muito cheia mas como era normal àquela hora nem liguei muito. O dito sujeito com os seus grandes olhos azuis, da cor do céu como não há muitos mas eu tenho dois amigos que têm uma cor dos olhos parecida, não parou por um instante de olhar para mim ou para o que eu estava a fazer. Ao início achei estranho, mas pensei que ele pudesse estar a tentar perceber o que eu estava a ler, no entanto, como estava do lado oposto e à sua direita, ele não conseguiria ler nunca o que eu estava a ler, então risquei essa possibilidade de imediato. De seguida pensei que talvez a minha música tivesse muito alta, então baixei o volume para não incomodar o senhor nem os restantes passageiros, mas ao fazer este gesto olhei ligeiramente para o senhor e o certo é que este continuava a olhar e comecei a ficar extremamente desconfortável com a situação. Bem-educada como sou, sempre me disseram para não falar com estranhos (e aprendi à minha maneira que nem mesmo para perguntar "tem algum problema comigo?" ou "mandar a dica" como é usual nos jovens da minha idade de "quer uma fotografia pra ver melhor?!") e fingi que não percebi (como faço tão bem e tantas vezes para não me chatear ou para não derivar certas situações estranhas) e fingi que o senhor não estava a olhar pra mim, concentrei-me na minha leitura e esqueci-me do que estava a minha volta.
Eu sei que as pessoas normalmente não andam com DIVORCIADA, TRABALHADOR-ESTUDANTE ou VIOLADOR na testa, mas o certo é que nunca podemos julgar um livro pela capa, porque o senhor era bem parecido, mas que me estava a assustar muito, lá isso estava!
Agora até posso brincar e dizer que o senhor apaixonou-se à primeira vista mas nem sou lá grande coisa à vista pra alguém se apaixonar só de olhar! Passado 20 minutos de observação (e que longos foram esses 20 minutos! - foi pior que ir ao médico!) a paragem do senhor estava a chegar. Apercebi-me que o meu pequeno "pesadelo" ia acabar depressa porque vi-o de esguelha, pelo canto do olho, a compor-se e a levantar-se, ficando junto às escadas pra descer até à porta, mas nem nas escadas o raio do homem parou de olhar!
Isto só a mim é que me acontece e, pra grande azar o meu, acontece sempre quando estou sozinha! Uns dizem coisas da vida, eu cá chamo-lhe karma porque acredito mesmo nisso, mas mesmo assim o karma trocou-se porque eu não fiz mal a ninguém.
O bom mesmo é ter cuidado e não dar conversa nunca em casos suspeitos porque há malucos pra tudo e a cada maluco sua pancada.

07/03/2011

Meias são metades e tu és a minha

Não sei quem teve a infeliz ideia de chamar meias às peúgas. Peúgas são o que se calça antes dos sapatos. Meias, pra mim, são metades!
E por falar em metades bem posso dizer que tu és a minha. Não sei se há almas gémeas mas sei que encaixamos na perfeição e que, contigo é que não me importava nada de ficar sempre e para sempre. Para uma sonhadora o sempre existe mesmo e não tem mal nenhum em sonharmos, eu sonhava contigo todas as noites e os meus sonhos tornaram-se realidade.
Ainda bem que a minha imaginação não me desilude porque tu és tudo o que eu imaginava que um rapaz deveria ser para me amar como eu o amaria a ele e, pelo que tu dizes, eu sou a mulher da tua vida porque sou tudo o que sempre quiseste.
Passou metade de um ano e eu contigo sinto-me invencível, sinto-me poderosa, mais bonita por dentro e por fora e uma pessoa melhor. De todas as vezes que estou contigo sinto-me a viajar sem destino nem horas, sinto milhões de borboletas na minha barriga a voar livremente, em círculos, sinto-me a levitar, sinto-me a pass
ear por entre nuvens, sinto-me deitada no telhado a ver as estrelas e a dizer-te ao ouvido que a mais brilhante és tu e só tu. Não meu amor, eu não tenho dúvidas que a ti que o meu coração pertence, ele já nem mora em ti, a minha casa é o teu coração e o meu coração está nas tuas mãos, por isso larguei o balão do medo e das incertezas e ele voou bem alto e o senhor de asas que anda por aí a lançar setas acertou em cheio no balão e as partículas de medo e insegurança desapareceram pelo ar.
Eu não tenho mais forças pra te resistir e tu, como sempre, agarraste-me, pegaste-me ao colo por momentos e beijaste-me como se o mundo dependesse daquele beijo. Na verdade o meu mundo dependia, do teu beijo, do teu coração, de ti.
Somos dois corações feitos da mesma matéria unidos para sempre. Viciei-me em ti e agora somos um só, juntos.