Separadores

ATENÇÃO

Este blog é pessoal demais. Este blog dá de si e do seu espaço, da sua liberdade, do seu pensamento e, sobretudo, do seu coração.
Acima de tudo: "Eu escrevo como falo, como sonho, como penso."
Por isso SEGUE O QUE SENTES.

18/03/2010

Catarina


Tu és musica pra mim, és um conjunto de sons harmoniosos e equilibrados que eu quero e escuto com toda a atenção para não perder nada, nada de nada. As tuas palavras inspiram-me e aguçam a vontade de escrever. A tua voz dá-me vontade de cantar bem alto, mas só tu puderes ouvir bem de perto. Dizes as palavras mais confusas pra mim, mas no entanto adoro ouvir-te dize-las. O silêncio dos nosso olhares atropelam tantas palavras ditas nesses instantes porque "os olhares falam as palavras que boca não pronuncia, é a nossa magia, o nosso sentido mais apurado." Tudo me encanta, tudo me fascina: tua magia, tua garra, tua pureza, tua doce doçura tão dócil como tu.
Não esqueças quem nunca te esqueceu, não deixes de sorrir para aqueles que sempre te amam.
E com isto digo-te que te amo minha Catarina, porque a ti é mesmo pra sempre.

7 comentários:

  1. Ela é uma maravilha como nenhuma outra pode haver, é a verdade. E o teu coração é duma doçura incrível, Catarina :) ♥

    ResponderEliminar
  2. Vocês as duas são TUDO para mim,
    eu amo-vos melhores amigas, minhas irmãs. ♥

    PARA SEMPRE!

    beijo, nês.

    ResponderEliminar
  3. Foi o mesmo que escreveu para ti? o dos olhos verdes no banco? Desculpa estar-me a meter na tua vida, em coisa que já aconteceram há tanto tempo, mas estou num estado de nostalgia enorme e estou a adorar ler o teu blog e gostava de saber como é que a história acabou..

    ResponderEliminar
  4. Olá carla. devias ler este meu post:http://sorrirdiferente.blogspot.pt/2011/02/se-quiseres-e-acreditares-vais.html
    não deixes de acreditar no amor, apesar de talvez te ser dificil acreditar em algo que parece inalcaçável. mas não desistas!

    isto foi o que escrevi para uma das minhas melhores amigas. quanto 'a carruagem', ao 'banco verde de jardim' e 'a carta' são ficções, mas há sempre algo de verdade em tudo o que escrevo.

    ResponderEliminar
  5. Tenho pena que precises da criatividade dos outros pela tua não te chegar. É disto que este texto é feito, de falta de criatividade. As aspas existem para se usar quando citamos algo que não é nosso. Nomeadamente a minha frase que ridiculamente alteraste: "Os olhares falam as palavras que a boca não pronuncia, talvez esse seja afinal o nosso sentido mais apurado".
    Se precisas dos outros para escrever, não sabes nada sobre palavras.

    ResponderEliminar
  6. já nem me lembrava disto!
    ly, B'.
    <3

    ResponderEliminar

Olá! Diz-me tudo o que quiseres :)