Separadores

ATENÇÃO

Este blog é pessoal demais. Este blog dá de si e do seu espaço, da sua liberdade, do seu pensamento e, sobretudo, do seu coração.
Acima de tudo: "Eu escrevo como falo, como sonho, como penso."
Por isso SEGUE O QUE SENTES.

09/02/2011

A planta do amor

Ando a pensar seriamente se conseguiria alguma vez escrever uma música que fosse minimamente interessante, a ver vamos se arranjo tempo pra me dedicar a algo que me dá tanto gozo como ouvir música ou fazê-la com a minha voz.
A próxima semana vai ser difícil e não é que esta esteja fácil uma vez que não tenho lá muito tempo disponível para as coisas boas da vida que eu gosto, mas a próxima então, o tempo disponível é nulo ou negativo!
Já agora aproveito para dizer que já estou quase a acabar o livro "O FIM DA INOCÊNCIA" e estou a adorar - é um livro, acima de tudo, chocante, viciante e sobre a vida dos adolescentes mais ousados e sem pudor do século XXI que somos nós. Um livro de leitura obrigatória não só pra adolescentes mas como pra pais também.
Fica o trailer:

O FIM DA INOCÊNCIA - Trailer from Francisco Salgueiro on Vimeo.


PS: Já sei o que oferecer dia 14 ao meu príncipe: uma pista: não vai ser uma "prenda"-cliché e ainda não comprei. A ver se ele gosta ahah x) - ah e parecendo que não, o tempo passa a correr e quando olhamos o calendário pra ver a quantas andamos, reparamos que já se passaram 5 meses e que a planta do amor cresce de dia para dia, como alimentada de saudade, de afecto puro, de cumplicidade terna, de loucuras e parvoíces, de beijos demorados, de abraços apertados, de olhares profundos, de boa música, boas conversas e até de pensamentos e do vazio dos dias sem ti, mas a verdade é que não há vazio, porque eu sinto-te sempre em mim, a crescer comigo e eu contigo, por dentro dos nossos tecidos que são feitos na mesma matéria, do mesmo amor louco, quase cego, que temos um pelo outro.E a planta cresce. E tu cresces. E eu cresço. E sou feliz. Sempre fui. Mas agora sou mais ainda.

Bom resto de semana que eu vou tentar ter também. Agora agora apetecia-me mesmo era pintar, mas hoje já não dá, talvez ainda escreva no caderno.
[PS 2:Alguém tem sugestões de novas leituras? (apesar de eu já ter "roubado" alguns livros à Catarina ahah) :)]

3 comentários:

  1. «E a planta cresce. E tu cresces. E eu cresço.»

    O teu namorado não cresce lá muito... LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

    ResponderEliminar
  2. Era tão melhor que fizesses comentários pertinentes ou, que pelo menos, se nem compreendes o texto, nem tão pouco a metáfora, limitavas-te e não farias esse comentário inoportuno e sem sentido.
    No entanto agradeço por leres o meu blog :)
    Mas dou-te com conselho: da próxima vez tenta entender as entrelinhas e os duplos sentidos das frases, sejam minhas ou de outras pessoas, pelo menos poupavas-te e melhor figura fazias.

    ResponderEliminar
  3. Este livro é maravilhoso! Quando o comprei nem sabia muito bem o que esperar dele mas quando o li fiquei boquiaberta. Adorei!!
    um beijinho virtual

    ResponderEliminar

Olá! Diz-me tudo o que quiseres :)