Separadores

ATENÇÃO

Este blog é pessoal demais. Este blog dá de si e do seu espaço, da sua liberdade, do seu pensamento e, sobretudo, do seu coração.
Acima de tudo: "Eu escrevo como falo, como sonho, como penso."
Por isso SEGUE O QUE SENTES.

16/05/2011

Aprendi, e muito.


Quero contar a mim própria que creio que sou alguém com ideias diferentes das que tinha. Não digo que sou alguém novo, porque eu sempre fui a mesma, fiel ao que sou. Creio que adquiri a liberdade do pensamento e, com isso, vejo o mundo de forma diferente. Tá claro que o mundo continua igual, a minha visão dele é que mudou: as mais pequenas folhas são mais belas e as noites mais encantadoras. O amor é mais forte e as amizades mais sólidas. A distância aumentou e o meu coração também. O espírito tem as cores do vento e a alma é cada vez mais corajosa no meio desta selva que é a vida.
Aprendi muito este ano. Aprendi que as pessoas não são tudo o que aparentam ser mas que nem sempre são piores por isso. No geral, nós apenas conhecemos das pessoas o que elas nos mostram. Mas e quando elas se fecham?! Ás vezes há seres como eu, que gostam de observar os outros e, às vezes conhecem as pessoas, mesmo quando elas continuam com a boca fechada, com a mente inundada de pensamentos. - Eu conheci alguém ao observá-la: os gestos, as palavras, a entoação, os sorrisos e principalmente o olhar. Passei a conhecê-la tão bem em tão pouco tempo e o extraordinário está aí mesmo! Eu digo que a conheço muito bem. Ela confirma.
Aprendi que as pessoas ficam mais bonitas quando gostamos delas, que viver é contar histórias e que um artista não se quer para copiar a realidade, mas sim para representar a sua própria realidade. Decidi que quero escrever um livro um dia e que quero pintar até morrer. Aprendi que preocupo-me muito com as pessoas (às vezes demasiado, até) e que só as pessoas que gosto é que me afectam. Aprendi a ser imune a ataques de pessoas que estão abaixo de mim e acho fico bonita quando estou feliz ou/e apaixonada.
Não gosto da palavra "talvez". Não gosto de incertezas. Não gosto de meias palavras. Não gosto de metades porque, pra mim, é tudo ou nada. Não me contento com quases nem com o fácil. Gosto de mim e da confiança que tenho no que sei que faço bem.
Continuo com a certeza de que não gosto de chorar, que me ignorem ou ponham de parte. Não tolero faltas de respeito das outras pessoas sem razão e detesto que decidam por mim. Continuo a desejar que o dia tenha 48 horas porque 24 parecem-me não me chegar.
Continuo apaixonada e continuo a pensar que vou ser amiga dos meus amigos de hoje em dia pra sempre. Sinceramente, nem vejo porque não.
Eu sou o que eu sou, aprendo o que me convém. Tenho um feitio difícil de aturar mas quem gosta, gosta sempre. Quem não consegue aguentar o meu pior, tanto menos merece o meu melhor.


«(...)Diga que me adora
Deixe o orgulho e venha, porque já
Está na hora, da gente se encontrar e sermos um(...)»
(Natiruts - Sorri, sou rei)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Olá! Diz-me tudo o que quiseres :)