Separadores

ATENÇÃO

Este blog é pessoal demais. Este blog dá de si e do seu espaço, da sua liberdade, do seu pensamento e, sobretudo, do seu coração.
Acima de tudo: "Eu escrevo como falo, como sonho, como penso."
Por isso SEGUE O QUE SENTES.

21/04/2012

Shelter


De vez em quando fechas-te no teu mundo e deixas o meu à deriva. Vais-te para longe e não olhas para trás e o meu coração sente um aperto, foge-me a calma e os sentidos e sinto que sou vazia, seca, dorida quando tu não ris para mim. Sinto os pés presos ao chão e a música a chamar-me para me completar o bocado que me roubaste do coração. E fico assim, horas imóvel, petrificada, mergulhada na minha própria tristeza, naquela que foste capaz de me passar para a alma. E depois voltas, perguntas o que se passa e eu digo "nada". E tu desconfias e insistes e eu digo que estou a pensar. Tu queres saber o que me vai na cabeça, e és incapaz de descodificar o meu olhar, para azar meu.
Eu penso tanto, em tanta coisa, que acho que é isso mesmo que me mata, mais do que tu me matas a mim neste amor sem amor mas com um pouco de amor ao nosso jeito.´
Fazes-me mal, e tu sabes disso, só não sabes como, e eu também não.

Oh I need your shelter.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Olá! Diz-me tudo o que quiseres :)