As mulheres mentem tão bem

A vida resume-se a uma coisa muito simples: a um amontoado de situações que resultam de decisões que tomamos constantemente na nossa existência. Aquilo que nos tornamos é o que resulta dessas circunstâncias que nos põem à prova.
Aquilo que tu és resulta daquilo que te aconteceu, daquilo que não tiveste culpa mas que não consegues esquecer nem ultrapassar.
Ela magoou-te. Quebrou todas as promessas que outrora fizeram um ao outro, ela quebrou o feitiço mágico em que tu acreditavas que era amor. Ela fez com que tu te sentisses nada, com que tu não valesses, com que tu não tivesses significado nem importância após tanto tempo juntos, que tudo o que viveram fora mentira, um gasto de tempo que jamais conseguirás recuperar. Ela magoou-te, arrastou-te para uma ponte, arrancou o teu coração, rasgou-o ao meio, atirou-o para bem longe, para um sítio onde nunca mais o pudesses ver, para o sítio onde vão as coisas perdidas e nem retorno, para o vazio, para um buraco negro da cor dos olhos dela e tu nunca mais viste o teu coração.
Ela fez com que tu desacreditasses que o amor fosse algo real, que gostar de alguém fosse possível porque tu gostavas dela, ela traiu toda a confiança que tinhas depositado nela. As mulheres mentem tão bem... 
O amor é o coração, e todos têm um. Menos tu, que agora já não o tens. Amor é quando encontras alguém disposto a dividir o coração contigo, para que ambos tenham onde guardar o carinho, as memoriasm, o cheiro, o beijo, a pele, o suor. O amor é partilha e confiança, e sempre será.
Sabes, ela magoou-te mas é como se diz, «Os homens são todos iguais e as mulheres todas diferentes». Havia alguém novo, alguém diferente, talvez alguém melhor, mas tu, ainda embebido na maldade de quem te magoou, não soubeste aceitar o coração, acreditas que ainda tens o teu, mas já to roubaram à tanto. Nunca saberás o que é o amor depois da mágoa se não quiseres dividir o coração com alguém que gosta de ti está disposto a dar-te. Não penses que essa pessoa nova quer oferecer-te metade do coração e também dar-te metade do que sente por ti, ela está sim a oferecer-te a outra metade dum sítio onde possas guardar tudo o que é bom de guardar, está a dar metade do coração onde possas deixar crescer o que é bom na vida, a força mais verdadeira que existe: o amor. A palavra talvez te assuste, mas o amor tem tão de simples quanto o ser humano (tu) de complicado. Um dia vais ter de aprender a largar, a esquecer ou a viver com o que te aconteceu. Um dia vais deixar de ter medo e vais deixar de pisar um sonho por um erro que não cometeste. Um dia vais aprender que vale a pena baixar as armas e deixar ir. Porque amar é confiança e partilha e é também não ter medo de mostrar quem se é de verdade à outra pessoa.



Talvez sejamos os dois corpos com alma demasiado livre e sem coração e, por isso, nenhum de nós consegue oferecer a outra parte do coração que falta ao outro.

Comentários

  1. gostei muito , 'o amor. A palavra talvez te assuste, mas o amor tem tão de simples quanto o ser humano (tu) de complicado. ' e adorei esta parte *

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Olá! Diz-me tudo o que quiseres :)

Mensagens populares deste blogue

"A minha casa é o teu coração"

O lado mais triste do amor é não sentir nada

O amor é fodido